páginas pessoais
Please do not change this code for a perfect fonctionality of your counter páginas pessoais
contador de visitas para blog

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Nenhum veneno mata sózinho

por tua bébé, em 11.04.18

Nenhum veneno mata sozinho. A mim mata-me não te ter. Mata-me todos os dias acordar sem ti ao meu lado. Mata-me a certeza de que nada me falta se não me faltares. Mata-me tanta coisa – menos tu. Nenhum veneno mata sozinho, não sei se já te disse. Quero-te desde que a vida começou: talvez assim entendas melhor do que falo. Quero-te desde que percebi que me percebias, desde que percebi que me vias. Há tanta gente a olhar-nos neste mundo e só uma nos consegue ver, não é? Sou tão feliz nos teus braços. Será isto o amor: saber que somos tão felizes naqueles braços mesmo não podendo estar sempre que nos apetece? Nenhum veneno mata sozinho, repito. Nenhum veneno mata sozinho. Só amar elimina o veneno. Quando não se ama a vida é apenas a esperança a passar. A minha, enquanto te tiver como meu, não passa. Aqui fica uma bela declaração de amor. Faz com ela o que quiseres, mas nunca deixes de me querer. Quando pudermos vamos dar as mãos ao acordar, dar as mãos ao deitar. Basta dar as mãos para tudo valer a pena, já viste? A tua mão na minha e estou pronta para voar. Um dia vamos percorrer o mundo debaixo dos lençóis, prometo. É para isso que existem os corpos: para viajar. Quem nunca amou nunca saiu do sítio. Sou do lugar onde te amo. Sou do lugar onde sou amada. Pode ser pobre, pode ser poucochinho. Mas é o lugar que me ocupa. O nosso lugar. Quando acordar vou dizer-te isto tudo, prometo. Para já vou apenas olhar-te dormir. Ou se ama para sempre ou nunca se amou. Pode não durar a vida toda mas amamos para sempre. Assim será connosco, garanto-te. Daqui a nada acordo e acordo-te. Vou ver o teu sorriso por me veres acordar. Bastará isso para querer acordar. "Pedro Chagas Freitas, In: prometo amar-te"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:18

Amar é sempre a dois

por tua bébé, em 02.04.18

Só está à altura das tuas lágrimas aquele que faz tudo para que nunca chores. Chorar, quando se ama, é sempre a dois. Tal como rir, quando se ama, é sempre a dois. O que um sente o outro sente – ou, se não sente, quer sentir e, de tanto querer, acaba por sentir também. Quando olhares para alguém apaixonado estás a ver duas pessoas. Ou então não é amor nenhum.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:38



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2018

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D